a transformação e o movimento de arapiraca




Arapiraca é uma cidade de 250 mil habitantes, embora quem aqui respira diz viver entre meio milhão de humanos. Mais do que nunca vive-se num lento processo de metropolização (RMA), e a velocidade dessa presença só não é ligeira porque a dúzia de cidades da RMA são ainda muito pobres comparado com o centro da região.

A AL220 é uma rodovia-avenida muito importante e que mantém um erro grosseiro de não possuir acostamento nem passagens seguras para pedestres. Tornou-se assim um circuito muito movimentado e pouco seguro para carros e pedestres. Nos seus quatro quilômetros atuais de pistas duplicadas, o motorista não verá viadutos, alças, passagem de nível, acostamentos. Os pedestres não verão escadas nem passarelas.

Na atual duplicação da AL110 a história muda de rumo, pois ali haverá acostamentos, passarelas e retornos mais inteligentes. É a rodovia que liga Arapiraca à São Sebastião (por onde a BR101 cruza) até o complexo de cidades ribeirinhas como Penedo, Coruripe e Porto Real do Colégio. A duplicação que já está praticamente concluída (da polícia rodoviária até o aeroporto) terá cerca de 4 km de extensão e vai integrar-se à duplicação da AL220.

A duplicação das duas rodovias no perímetro urbano têm mudado a cara da cidade, porque possibilita uma movimentação mais rápida e mais intensa de automóveis, produtos, serviços e pessoas. E colabora com a sensação de estarmos diante de uma cidade grande, pulsante, rica. A duplicação fez possível ir do grupo Coringa até o Aeroporto em pistas duplicadas, algo como 8 km de rodovias.

Esse processo de duplicação é lento, e insuficiente, ainda. O que a cidade deseja agora é que a duplicação urbana estenda-se ao encontro com outras cidades. Há promessas de que a AL220 seja duplicada até chegar a São Miguel dos Campos, o que daria em rodovia duplicada até Maceió. Em segundo lugar a duplicação Arapiraca – Palmeira dos Índios, depois a duplicação Arapiraca – Penedo, e por fim, a duplicação Arapiraca – Piranhas, em direção ao alto sertão.

É possível observar que a duplicação das rodovias que cruzam a cidade é também o meio pelo qual nossa cidade respira presença e importância regional. Todo o interior deseja circular em Arapiraca, e o potencial disso já foi traduzido com a criação da região metropolitana do Agreste e hoje vivemos a possibilidade de uma integração mais pontual.

Pela importância de Arapiraca na RMA o futuro que se desenha indica que a dúzia de cidades da região se tornarão cidades-dormitórios com seu centro nervoso em Arapiraca. Há elementos factuais que apontam nessa direção. 

Como polo jurídico, administrativo, educacional, comercial, industrial e de lazer, nenhuma outra cidade da região está em condições de suplantar a força da presença de Arapiraca. É aqui que o interior vibra, e se pensa.
a transformação e o movimento de arapiraca a transformação e o movimento de arapiraca Reviewed by davy sales on quinta-feira, novembro 24, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

Davy Sales (2012). Tecnologia do Blogger.